PortuguêsEnglish

UFC está entre as 10 instituições sediadas no Brasil com mais pedidos de patentes

28 de agosto de 2018
Pesquisador Francisco Ronaldo Belem Fernandes integrou equipe do Departamento de Engenharia Agrícola que desenvolveu máquina fatiadora de palma, cujo regstro de patente foi requerido (Foto: Ribamar Neto/UFC)

Pesquisador Francisco Ronaldo Belem Fernandes integrou equipe do Departamento de Engenharia Agrícola que desenvolveu máquina fatiadora de palma, cujo regstro de patente foi requerido (Foto: Ribamar Neto/UFC)

Pelo segundo ano consecutivo, a Universidade Federal do Ceará aparece entre as 10 instituições sediadas no Brasil que mais depositaram patentes no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A UFC se destaca nos Indicadores de Propriedade Industrial de 2018 do INPI em sexto lugar na lista de depositantes residentes, com 50 pedidos de patentes no ano de 2017.

Para o representante da Coordenadoria de Inovação Tecnológica (CIT) da UFC, Rodrigo Porto, o destaque da Universidade no ranking de patentes demonstra que a instituição tem crescido na área da pesquisa aplicada. “O depósito de patentes mostra o movimento de estudantes e professores da UFC produzindo inovações que geram impacto direto da vida da população. As pesquisas e as teses estão saindo das prateleiras e indo ao encontro das demandas da sociedade”, considera.

De acordo com a CIT-UFC, o Centro de Ciências Agrárias foi a unidade acadêmica que mais registrou patentes no ano passado, com 17 solicitações de registros no INPI, 11 dos quais do Departamento de Tecnologia de Alimentos. Há destaque ainda para o Centro de Ciências, com 14 patentes, e o Centro de Tecnologia, com 12 registros. Também solicitaram patentes no INPI a Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem (6) e a Faculdade de Medicina (1).

RANKING – A primeira colocação na lista do INPI de patentes de instituições no Brasil ficou com a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), que apresentou 77 pedidos de patentes. Em seguida aparecem Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), com 69 depósitos de patentes; Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com 66; e Universidade de São Paulo (USP), com 53.

A CNH Industrial Brasil aparece em sétimo lugar, com 35 registros, seguida pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRJ), com 34 registros; pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com 31 patentes; e pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), também com 31 registros.

DEPÓSITO – Para realizar o registro de uma patente, é preciso, primeiramente, verificar se não há nada igual ou semelhante já patenteado no Brasil e no mundo. Se o inventor responsável tem ou teve vínculo com a UFC no momento em que a invenção foi concebida por completo, deve abrir um Processo de Registro de Propriedade Intelectual

Centro de Ciências Agrárias foi a unidade acadêmica que mais registrou patentes no ano passado, com 17 solicitações de registros no INPI (Foto: Viktor Braga/UFC)

Centro de Ciências Agrárias foi a unidade acadêmica que mais registrou patentes no ano passado, com 17 solicitações de registros no INPI (Foto: Viktor Braga/UFC)

– Patente no Sistema Eletrônico de Informações (SEI) e incluir os documentos solicitados.

Após a análise da Coordenadoria de Inovação Tecnológica (CIT-UFC), é solicitado ao inventor o relatório descritivo, além de resumo, reivindicações e desenho do pedido de patente, os quais devem ser enviados ao e-mail do setor de patentes da UFC: patentes@ufc.br. Com a documentação de acordo com a exigência do INPI, a coordenadoria inicia o processo interno de pagamento de pedido de patente.

Depois do pagamento, a CIT recebe do INPI o número do processo do pedido e o encaminha aos inventores que possuem vínculo com a UFC. A partir daí, a CIT acompanha o trâmite no INPI, respondendo a eventuais dúvidas ou contestações por parte do instituto ou de terceiros, e mantém o pagamento das anuidades em dia. A patente tem validade de 15 a 20 anos.

O passo a passo completo para depósito de patentes está disponível no site da CIT.

Fonte: Coordenadoria de Inovação Tecnológica – fone: 85 3366 9942